cinemafilmemovie

Especial | Dia dos Pais e os pais da ficção

Pais e filhos transmitindo carinho e amor é visto no cinema em todos os gêneros desde do drama até a comedia, os pais sempre estão lutando por seus filhos, fazendo sacrifícios inimagináveis.

O Dia dos Pais no Brasil é comemorado desde 1953, a princípio era comemorado no dia 16 de agosto para coincidir com o dia de São Joaquim, pai de Maria, mãe de Jesus. O Dia dos Pais é uma data comemorativa criada pelo publicitário Sylvio Bhering feita para os filhos gastarem com presentes para os pais e girar a roda da economia, apesar disso, as pessoas comemoram transmitindo carinho e amor. Assim como na vida real, esse tipo de relação entre pais e filhos é vista no cinema em todos os gêneros, desde o drama até a comédia, os pais sempre estão lutando por seus filhos, fazendo sacrifícios inimagináveis. Os melhores exemplos dessas relações são: Anakin e Luke Skywalker (Star Wars); Alan e Jake Harper (Dois Homens e Meio), Mufasa e Simba (Rei Leão), Yondu e Peter Quill (Guardiões das Galáxias), Will Smith e o tio Phil (Um Maluco no Pedaço) e Bruce Wayne e Alfred (Gotham) apesar de alguns não serem pais biológicos, todos eles tem uma relação emocionante com aqueles que cuidam.

Uma das histórias mais bonitas de se ver é a de Guido Orefice (Roberto Benigni) do filme A Vida é Bela de 1997 baseado no livro In The End, I Beat Hitler contando a experiência real em um campo de concentração de Rubino Romeo. Guido pai de Giosué protege o filho dos horrores dos campos de concentração o escondendo, protegendo-o e o fazendo acreditar que tudo não passa de um jogo cujo o prêmio é um tanque de guerra – sonho de consumo da criança.

A Vida é Bela

Nem todos os pais são os melhores, mas sempre acabam se redimindo no final, alguns como o Lord Vader, não tem jeito mesmo, o que ocorre com o pai do Will Smith, Lou (Ben Vereen) que nunca o assumiu como filho, essa falta de um pai é preenchida pela relação do Will com o seu tio Phil (James Avery) que apesar de brigar com ele está presente e o apoia diariamente.

Um dos momentos mais emocionante do cinema dessa relação pai e filho acontece em Os Guardiões das Galáxias Vol. 2, com o sacrifício de Yondu (Michael Rooker) para salvar Peter Quill (Chris Pratt), neste momento do filme dá pra perceber que apesar de Peter ter achado o seu pai biológico, o seu verdadeiro pai era aquele que o criou e protegeu.

Este está no top 10 dos melhores pais do cinema… Chris Gardner (Will Smith) é abandonado pela mulher e despejado do seu apartamento, começa um estágio não remunerado e se mantêm com seu filho em abrigos para moradores de rua, mesmo com todas as dificuldades, ele se mantêm determinado a crescer na vida para melhores condição ao seu filho a custo de muita dor e frustração.

Nesse dia dos pais se inspire no cinema, abrace seu pai diga que o ama. Os heróis existem dentro das telas, fora delas o herói é seu pai, não sabemos por quanto tempo teremos ele, peça desculpa caso tenha brigado e o chame para assistir um filme.

Mostrar mais

Notícias relacionadas

Deixem seus comentários!

Fechar