cinemacríticafilmefilmesmarvelmoviesonypicturestrailer

Crítica | Homem-Aranha: Longe De Casa entrega uma aventura fantástica de amadurecimento

Após a primeira aparição do Homem-Aranha de Tom Holland no MCU, a parceria Marvel e Sony Pictures vêm provando que os estúdios trilharam um caminho grandioso para um dos heróis mais queridos pelo público, construindo sua personalidade e amadurecimento em cada aparição, Homem-Aranha: Longe De Casa vêm para firmar o herói nesse universo e encerrar a Fase 3. Nós dos Agentes Nerds já conferimos o filme e contamos SEM SPOILERS o que esperar do longa:

Após a primeira aparição do Homem-Aranha de Tom Holland no MCU, a parceria Marvel e Sony Pictures vêm provando que os estúdios trilharam um caminho grandioso para um dos heróis mais queridos pelo público, construindo sua personalidade e amadurecimento em cada aparição, Homem-Aranha: Longe De Casa vêm para firmar o herói nesse universo e encerrar a Fase 3. Nós dos Agentes Nerds já conferimos o filme e contamos SEM SPOILERS o que esperar do longa:

O filme começa com o Homem-Aranha tendo que lidar com a morte de Tony Stark e a imprensa o questionando constantemente se ele seria o próximo Homem de Ferro. Sem se sentir preparado para assumir esse fardo, Peter Parker (Tom Holland) utiliza a excursão da escola pela Europa como uma válvula de escape para fugir das responsabilidades e questionamentos, além de querer usar esse tempo para se declarar para MJ (Zendaya). Para o azar dele, o dever o chama e Nick Fury (Samuel L. Jackson) o procura pedindo ajuda para uma onda de ataques dos Elementais.

É ai que Peter Parker conhece Quentin Baker (Jake Gyllenhaal) – o Mysterio – ambos lutam lado-a-lado para derrotar o último dos Elementais, e Peter vê em Quentin alguém maduro o suficiente para assumir o fardo e se tornar o próximo Homem de Ferro. O filme é basicamente sobre amadurecimento, Peter está caminhando para o personagem que conhecemos dos quadrinhos e esse filme o solidifica como o futuro promissor dos heróis. Mas não pense que o filme possui a melancolia de Vingadores: Ultimato, em Homem-Aranha: Longe De Casa temos um tom divertido e descontraído, combinação perfeita para a temática de férias.

Um dos pontos altos desse longa são as cenas de ação, muito bem coreografadas, um ponto muito discutido após a estreia de Homem-Aranha: De Volta ao Lar, dessa vez o diretor Jon Watts mostrou que ouviu o público e amplificou todas as cenas de batalha do Aranha. Os fãs de toda a movimentação que existia nos filmes do Andrew Garfield, vão amar ver o herói se balançando pelos prédios. E todas as cenas que envolvem o vilão Mysterio também são obras-primas visuais, todas as escolhas visuais em relação ao Mysterio foram acertadas, trazendo uma grandiosidade visual nunca vista antes nos filmes do Cabeça-de-Teia.

Outro aspecto que vale a pena ressaltar é a atuação de Tom Holland, que entrega diversas camadas ao caráter do personagem, além de uma performance espetacular, provando que foi a escolha certa para o papel. Inclusive Jake Gyllenhaal mostra a que veio, trazendo a maturidade e densidade ao Mysterio, infelizmente em determinado ponto sua atuação tem uma guinada assim como seu personagem, trazendo uma onda cartunesca e muito explicativa.

Homem-Aranha: Longe De Casa prova que com grandes poderes vem grandes responsabilidades – e o fardo que o aracnídeo carrega nesse filme, mostra que a Marvel tem grande respeito ao maior herói de sua história e que a Fase 4 tem um futuro promissor.

Nota:

4,0

4,0

Homem-Aranha: Longe De Casa prova que com grandes poderes vem grandes responsabilidades, trazendo cenas de ação bem trabalhadas, atuações convincentes, roteiro bem encaixado, dando um vislumbre de que o futuro do herói nas telas será fascinante.

Mostrar mais

Juliana Macedo

Futura economista, nerd assumida, apaixonada por filmes, séries, livros e um bom café de companhia. Criadora do Insta @pensoufilmes, sonhadora, não tem medo de novos desafios e sonha em deixar sua marca ao mundo.

Notícias relacionadas

Deixem seus comentários!

Fechar