Crítica | Deadpool 2 é um heroísmo diferente dos convencionais

Deadpool 2 pode não ser um filme apto para toda e qualquer família, mas com certeza é um filme família.
Compartilhe:

O mercenário talarica traz um heroísmo diferente dos convencionais, misturando o cômico com ação. Deadpool 2 retorna em um clima mais “família” e até afetuoso, mas sem deixar seu lado sarcástico, engraçado, extravagante e insano apresentado no seu anterior. 

Tal como em 2016, Deadpool 2, caminha para um paralelo motivacional na vida de Wade Wilson (o Deadpool, interpretado por Ryan Reynolds), gerando um conflito ao anti-herói, colocando como ameaça central o futuro ao lado de sua namorada Vanessa (Morena Baccarin). Enquanto tenta proteger o garoto Russel (Julian Dennison) das mãos do Cable (Josh Brolin), Deadpool intercala entre um lado mais heroico e passional, mas também muitas vezes desastroso em seu cotidiano. 

Personagem Russel, o Punho de Fogo (Julian Dennison). Imagem: Fox Film do Brasil. 

Dominó (Zazie Beetz). Imagem: Fox Film do Brasil.

Deadpool 2 mostra um heroísmo diferente dos convencionais, ampliando o universo dos mutantes, como Dominó (Zazie Beetz), Míssil Adolescente Megassônico (Brianna Hildebrand), Colossus (Stefan Kapicic) e Russel, o Punho de Fogo (Julian Dennison). Mesmo alguns deles tendo poucos momentos na trama, os coadjuvantes têm boas cenas de ação e suas atuações continuam convincentes. 
Cable (Josh Brolin). Imagem: Fox Film do Brasil.

Josh Brolin, como o mutante Cable mostra que é capaz de elevar o nível de qualquer personagem, não somente o de Thanos. Além disso seu personagem se torna um contraponto no clima cômico do filme. De princípio você imagina que ele não irá se encaixar no enredo e que nem combina com a atmosfera do filme, mas ao longo da trama, você percebe que ele é o parceiro perfeito para o mercenário. 
Vanessa (Morena Baccarin) e Deadpool (Ryan Reynolds). Imagem: Fox Film do Brasil.

Morena com o papel de Vanessa, mesmo não tendo o mesmo impacto do primeiro longa, além do menor tempo em tela, sua personagem ainda é um elemento fundamental para a evolução do Deadpool na trama. 

O filme segue um ritmo balanceado e bem amarrado em seu roteiro, conciliando entre ação e humor, sem se perder nas ações e informações desnecessárias. A edição nas cenas de ação é muito bem sincronizada e filmada, principalmente as lutas estão ainda maiores e melhores. 

Imagem: Fox Film do Brasil.

Míssil Adolescente Megassônico (Brianna Hildebrand). Imagem: Fox Film do Brasil.

O interessante dessa sequência é que ele quase consegue evitar o confronto final épico habituado em outros longas do mesmo gênero. A última luta é a maior do filme, possuído muitos personagens envolvidos e muita ação, mas em todo momento o filme se manter em trazer cenas interessantes, surpreendentes e também épicas. Ponto para o diretor David Leitch, que soube implementar esses elementos a mais na fita. 

Deadpool 2 pode não ser um filme apto para toda e qualquer família, mas com certeza é um filme família. 

Nota:

(Ótimo)


Compartilhe:

cinema

critica

deadpool

deadpool2

filme

foxfilm

marvel

morenabaccarin

movie

ryanreynolds

semspoilers

Comente!

2 Comentários:

  1. Recomendaram-me este filme e realmente é muito interessante. Adorei a participação de Josh Brolin, é um ator multifacetado, seu papel de Cable é muito divertido e interessante. O vi também em Homens de Coragem, é muito bom. É interessante ver um filme que está baseado em fatos reais, acho que são as melhores historias, porque não necessita da ficção para fazer uma boa produção. Gostei muito de Homens de Coragem, não conhecia a história e realmente gostei. A história é impactante, sempre falei que a realidade supera a ficção, acho que é um dos melhores filmes lançamentos em 2017 . Super recomendo. É impossível não se deixar levar pelo ritmo da historia, o elenco fez possível a empatia com os seus personagens em cada uma das situações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, o Josh Brolin é um ator muito adaptável e ele se entrega inteiramente aos seus papéis, além de sua presença carregar uma certa leveza a produção, como em Vingadores: Guerra Infinita como Thanos e em Sicario 2 como Matt, dois personagens que carrega um aspecto violento, mas que ao mesmo tempo nos faz ter carismo por ele, algo que raramente conseguimos sentir em um personagem neste mesmo aspecto.

      Excluir