News

Crítica | Liga da Justiça, engrandece ainda mais o universo da DC


O universo da DC depois de Mulher Maravilha deu um salto incrível trazendo a versão cinematográfica que todos os fãs dos heróis da DC gostariam de ver. Liga da Justiça graças aos Deuses passa longe de Esquadrão Suicida, dando uma reformulação meio estilo Marvel na interação da trama, com humor moderado, mas superdivertido, desfocando um pouco do conhecido universo sombrio da DC.

NÃO CONTÉM SPOILERS

Após a morte de Superman em Batman VS. Superman, o mundo ficou vulnerável e uma nova e grande ameaça está rápido a caminho. Bruce Wayne (Ben Affleck) impulsionado pela restauração de sua fé na humanidade e inspirado no sacrifício de Superman, ele convoca sua nova aliada Diana Prince (Gal Gadot) para juntos formarem um time forte o bastante para combater o inimigo recém-despertado.

Imagem: Warner Bros. Pictures.

A formação desse time: Batman, Mulher Maravilha, Flash, Aquaman e Ciborgue com certeza era dos momentos mais épico aguardados para vermos nas telonas. O filme apresenta os novos heróis de uma forma breve e objetiva, apresentando brevemente no início os principais conflitos que os novos heróis passam tanto na vida pessoal como também referente aos poderes deles. Exceto Batman (Ben Affleck) e Mulher Maravilha (Gal Gadot) que mostram terem o pleno conhecimento de seus poderes, Ciborgue (Ray Fisher), Flash (Ezra Miller) e Aquaman (Jason Momoa) vimos ainda que não atingiram a total dominação de seus poderes, tanto assim grandes chances para vemos mais dos  poderes deles nos futuros filmes da DC. 

Com 2h de duração, sendo o menor da DC até então, ele apresenta muito bem toda a trama, os personagens anteriores e novos e o surgimento do vilão, de uma forma bem organizada e sincronizada no enredo. Para alguns será preciso ter assistido pelo menos a Mulher Maravilha para captar melhor a trama do filme, e para outros nem tanto, ambos tá para assimilar muito bem a história.

Imagem: Warner Bros. Pictures.

Batman apresenta um herói mais tradicional, mais heroico, maduro e também o principal líder da equipe. Flash mesmo sendo o herói mais cômico no filme juntamente com Aquaman com uma versão de humor mais rude ambos são super cativantes. Ciborgue é o mais sério e também o herói mais iniciante da equipe, passando por um momento de descoberta de seus poderes e do conflito da aceitação de sua antiga vida com a nova. 

Ciborgue/ Victor Stone interpretado por Ray Fisher. Imagem: Warner Bros. Pictures.

Barry Allen / Flash interpretado pelo ator Ezra Miller. Imagem: Warner Bros. Pictures.

Não tem como não se cativar e se interessar pelos heróis novos e querer explorar ainda mais sobre eles. E isso que é bacana, ao mesmo tempo que você parece conhecer sobre eles através do que já sabemos nos HQs, mas queremos também saber ainda mais deles futuramente, mesmo com o breve resumo apresentado sobre eles na trama.

Sobre o novo inimigo que recém despertou, o Lobo da Estepe, é um grande vilão ameaçador e destruidor, não é tão indestrutível, mas tem como vantagem uma grande fonte de poder, a Caixa Materna.

Apenas o que não agrada tanto nesse filme é o visual criado somente em computação gráfica do Lobo da Estepe. Mas felizmente isso não interfere na atuação e importância que o personagem tem na trama. Os efeitos especiais em todo o filme, nos movimentos dos heróis mesmo em closes bem de pertos e que contém luta, o visual do Ciborgue e dos parademônios todos estão incríveis, super realistas em questão de detalhes e bem feitos, mas no Lobo da Estepe não agrada muito. Acredito que se tivesse feito o personagem espelhado mais nos traços do ator Ciarán Hinds, com a tecnologia de captura de de movimentos, teria dito um resultado bem melhor, como foi feito em Thanos da Marvel e na trilogia de Planeta dos Macacos.

Imagem: Warner Bros. Pictures.

Na fotografia e filmagem o filme está belíssimo, as cenas sempre amplas sem muitos movimentos tumultuosos nas cenas de ação, com alguns slow motion nas cenas da Mulher Maravilha e de Flash incríveis, valorizando bastante as cenas mais épicas do filme. Além da trilha-sonora um arraso. 

Termino essa longa crítica dizendo que não falarei nada sobre Superman, você só saberá assistindo ao filme hahaha. Liga da Justiça traz muita ação, humor e cenas épicas que com certeza dá aquela emoção e adrenalina de encher o coração e os olhos ao assistir. Lembrando que o filme contém DUAS cenas pós créditos que vale muito a pena conferir! 

Nota: 



Nenhum comentário