News

Crítica | Thor: Ragnarok, com grande humor traz um importante passo para futuro da Marvel

 

O terceiro filme de um dos maiores Deuses e Herói da Marvel, Thor: Ragnarok dá início a um novo arco importantíssimo no destino do herói e claro para os próximos filmes da Marvel. Mas nesta sequência pela tamanha importância e peso que ele carrega, a tosse excessiva de humor presente no filme pode ter prejudicado um pouco.

NÃO CONTÉM SPOILERS



O filme começa mostrando que após os eventos em Vingadores: Era de Ultron, Thor decidiu sair em busca das tais Joias do Infinito. Enquanto isso Hulk se perde em um planeta desconhecido, e Asgard se encontra em um estado condenável nas mãos do Loki, que ao abandonar Odin na Terra, tomou a posse do trono. Thor ao voltar a Asgard se depara com toda a bagunça gerado por Loki e ambos vão buscar Odin e traze-lo de volta. Mas o que ninguém esperava é que Ragnarok - a profecia sobre a destruição de Asgard, estaria próximo e com ela vinha uma poderosa deusa, Hela, a Deusa da Morte.

Thor: Ragnarok é um filme que não podemos dar mais detalhes sobre a trama, senão acabamos revelando spoilers sobre a história, e esse não é nosso objetivo no momento, então deixaremos para outra oportunidade, em breve. Sabendo que nos últimos filmes da Marvel, principalmente de Guardiões da Galáxia Vol. 2 em diante, o humor está ainda mais presente nas cenas, pode ser uma jogada da Marvel de aliviar por enquanto, para nos preparar no que está por vir... ou também não. Mas uma coisa sabemos que a Marvel tem muitas referências aguardadas nos seus filmes, e a maior parte de grande importância no futuro. 


Nesta sequência do herói, o carisma dos personagens, os momentos cômicos em situações hilárias, torna a trama divertida, mas o excesso dela se torna cansativa, desejando mortalmente que em algumas cenas tivesse mais sobriedade. Thor: Ragnarok como dito no início, é um arco de grande importância para o universo do Thor, mudanças, transformações e descobertas sobre o herói e para o povo Asgard acontecendo o tempo toda na história. E se você ver apenas pelo lado divertidíssimo da trama, você pode passar despercebido por esses momentos.

O filme é composto por um cenário rico em efeitos especiais, cenários, figurino, cores mostrando ainda mais um lado cômico na história. O carisma dos personagens são bastantes explorados, como Thor (Chris Hemsworth) que demonstra um lado mais leve, divertido mas também maduro. Já Loki (Tom  Hiddleston) mostra seu humor irônico e como sempre trapaceiro, mas dessa vez ele mostra que existe (é bem pouco) uma certa bondade em seu coração. Aliás neste filme com certeza é o que tem mais momentos Thor e Loki juntos, o relacionamento de irmãos dos dois é bem retratado na maior parte do tempo, e não podemos negar que é divertidíssimo ver os dois juntos nas aventuras.


Hulk (Mark Ruffalo) continua sendo carismático e destruído tudo, mas algo sobre o lado Hulk e o lado Bruce Banner nesse filme é mais retratado, os conflitos e as descobertas das ambas personalidades deixam enigmas ainda sem respostas.


Como vilã Hela poderia ter sido mais explorada, mas não podemos negar que a atriz Cate Blanchett, desfilou uma vilã divina em todos os requisitos de maldade e poder neste filme. Já a personagem Valquíria (Tessa Thompson) interpretou a durona poderosa. Grão-mestre (Jeff Goldblum) e o  Executor (Karl Urban) também trouxeram carisma aos seus personagens, mas não com tanta intensidade.



O filme traz grandes conexões referente ao futuro do universo da Marvel, mesmo sido dirigido pelo diretor Taika Waititi que não deve participação nenhum em filmes anteriores da Marvel, ele soube construir uma produção acolhedora, bem centralizada, com referências e easter eggs das obras originais, desenvolveu os personagens perfeitamente, além de ter criado uma trilha-sonora incrível. 

Thor: Ragnarok pode se dizer que sim foi o sinal verde para as próximas produções da Marvel e principalmente deu início aos primeiros sinais para a sequência Vingadores: Guerra Infinita. Agora é esperar também o que aguarda Pantera Negra, juntos ambos são as principais ligações a guerra entre Vingadores e o tão demito Thanos.

Nota:





Nenhum comentário