News

Crítica: Mãe! um terror psicológico totalmente insano



Começar falando sobre um filme com tal complexidade como o filme Mãe! Não é uma tarefa fácil, principalmente falando de um filme que qualquer coisa que você possa dizer um pouco além, já é spoilers. Aparentemente com uma sinopse simples, ele esconde muita coisa que você nem imagina que irá acontecer na trama. 
NÃO CONTÉM SPOILERS




Na história conhecemos um casal, que vão morar juntos numa casa no meio do nada. Ele um escritor e poeta, Ela um mulher com habilidades artísticas que restaura toda a casa, com o objetivo de torna-lo um paraíso aos dois. Mas esse desejo é impedido quando de repente um desconhecido Homem aparece, e sem a vontade dela, passa a noite na casa a permissão de seu marido. O que estava aparentemente muito estranho, fica ainda pior quando a Esposa desse Homem também chega na casa, e ai que começa a história ficar ainda mais tensa e ir pra rumos perturbadores para Mother.


Dizendo apenas isso não parece que um começo como este, pode ter um final surpreendente e arrebatador. E ai que está localizado a grande sacada, a trama inicia de um forma sutil mas sempre de uma forma bem suspeita, e vai aumentando gradativamente a cada ato. 

Detalhes sobre os personagens, as origens deles e até seus nomes em momento nenhum são revelados. A história é narrada quase como um poema num estilo terror psicológico, você sabe como são os personagens fisicamente, seus jeitos, os cenários, mas nada sobre o passado deles, além do momento presente.

A cada grau que aumenta na trama, o terror, a agonia, o desespero, e a insanidade de tudo que vai acontecendo cresce de uma forma que não dá tempo de tomar fôlego. Em quase todo o momento o foco se passa concentrando no rosto da Jennifer Lawrence, tanto o peso total da apreensão da trama sobre ela, nos fazendo sentir todas as angústias da personagem, e tudo que torna o filme interessante. O barulho de rangido de madeira conforme ela vai andando na casa durante a procura do que está realmente acontecendo, mostra o ritmo e evolução do desespero da personagem.


E em falar sobre o elenco principal Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Ed Harris e Michelle Pfeiffer, todos eles conseguiram interpretar um incrível nível de sintonia referente a tensão que toda a trama tem que carregar e que precisa aumentar em cada ato, e que necessita ser executado todos juntos. A atriz principal Jennifer Lawrence, mesmo com uma interpretação sutil, tem uma intensidade sem igual e perfeita de seu personagem ao enredo.

Mãe! tem diversas polêmicas presentes que trazem um impacto que nos fazem refletir e ficar horas impactados. Este não é um filme para qualquer um, nem mesmo para qualquer apreciador de filmes comuns. Mesmo não tendo presença de sangue pra todo lado, criaturas horrorosas, como maior parte de um típico filme de terror, ele principalmente apresenta e exige de você sensações, tensões e situações de pura insanidade, que você fala: Isso é loucura! Não pode estar acontecendo. Aparece até que você está vendo um daqueles pesadelo que apenas está desesperado para acordar. 

Com certeza pela complexidade que o filme tem, e pelo nível altíssimo que o diretor Darren Aronofsky consegue chegar, não podemos negar a ótima produção com tamanha audácia e inteligência. Para o telespectador muitos não irão gostar, outros aos contrários e terá muitos que não saberão definir o que acharam sobre o filme, cada pessoa terá um pensamento e sensação. Por isso que o critério que avaliamos como nota final deste filme não terá envolvimento pessoal, mas sim sobre a produção como um todo do filme.

O filme Mãe! é algo totalmente diferente do que você já viu, ele não apenas vai te deixar sem fôlego e desesperado, mas também ficará sem palavras para defini-lo após termina-lo de assistir. 

Nota: 

Curiosidades:

- Jennifer Lawrence é namorada do diretor do filme.

- Lawrence durante as gravações rompeu o diafragma e deslocou a costela.

- O filme foi selecionado para o Festival Internacional de Cinema de Toronto em 2017.

Trailer: 



Nenhum comentário