Crítica | Z - A Cidade Perdida, filme de Charlie Hunnam e Tom Holland

O filme inspirado no livro de David Grann e baseado em uma história real narra a misteriosa e perigosa missão que começou no ano de 1905 a procura de Z - A Cidade Perdida.
Compartilhe:

O filme inspirado no livro de David Grann e baseado em uma história real narra a misteriosa e perigosa missão que começou no ano de 1905 a procura de Z - A Cidade Perdida. 

A História

O coronel e arqueologo britânico Percy Harrison Fawcett (Charlie Hunnam) recebeu uma missão de mapear a região da Amazônia ( região do Brasil e Bolívia) a procura de uma civilização ou vestígios de alguma existência dela. Mas este expedição se torna algo obcecado por Percy, passando praticamente toda sua vida a procura dessa cidade.


Sua motivação para esta descoberta tiveram diversas alterações. Percy no começo precisava recuperar a honra do nome da sua família, que foi perdida por conta de seu pai com bebidas e jogos, depois ele queria mostrar para o mundo que essa civilização selvagem eram mais do que os britânicos pensavam e por fim queria somente provar sua lucidez diante de tudo que ele até o momento presenciou na sua missão até lá.

Durante a sua jornada Percy deixou muito a sua mulher e seus filhos para trás. Colocando sua vida em risco, e sem nem estar presentes enquanto seus filhos cresciam. 



Seu companheiro nas primeiras missões, Henry Costin (Robert Pattinson) o ajudou muito nas primeiras descobertas. Mas foi seu filho mais velho Jack Fawcett (Tom Holland) que o deu o maior apoio em sua última expedição em 1925.

Produção

O ator Charlie Hunnam novamente como ator principal em uma aventura depois de Rei Arthur: A Lenda da Espada, não decepciona em seu personagem Percy, ao mesmo tempo que ele demonstra muita coragem, determinação e carismo, ele enfrenta o dilema e a frustração de não conseguido seu devido reconhecimento na sociedade britânica e a volta da honra de sua família. A missão até a Cidade Perdida se torna para ele a única chance de alcançar este objetivo, e então a obsessão toma conta de si em ir atrás dessa cidade.


A atual de sua esposa Nina, interpretada pela atriz Sienna Miller desempenhou o papel de uma mulher forte e destemida, mesmo com as difíceis viagens de seu marido e a falta dele, os momentos dela na trama foram de pouco destaque, mas com muita intensidade.

Os atores Robert Pattinson e Tom Holland tiveram breves atuações, mas bem executadas e precisas. Tom Holland como filho de Percy, atuou brilhantemente, demonstrou toda a angústia reprimida de um filho que apenas queria a companhia de seu pai. Os momentos de conflito dele com seu pai e na última missão dos dois são interpretadas de uma carga emocional intensa, que nos faz sentir o mesmo por eles. Tom e Charlie interpretaram uma relação de pai e filho maravilhosamente bem.


A atuação do diretor James Gray na técnica de sua filmagem e produção são muito bem executadas e são belíssimas, ele foca muito bem o ambiente de natureza em um aspecto mais perigoso, sério, algo mais selvagem, demonstrando um cenário que realmente parecia distante e escondido. O enredo da trama mesmo tendo alguns aspectos falhos, o elenco, a produção e o ritmo da história superam, e em momento nenhum se perdem. 



O filme nos faz refletir sobre o valor familiar, o amor e a raiva, o respeito com a natureza que não conhecemos e o companheirismo nos momentos mais difíceis da vida. Não é um filme de você de assistir e rir ou chorar horrores, mas de ser sentida e refletida. Vale a pena conferir essa produção incrível e emocionante, numa aventura em uma natureza quase intocável.

Estreia dia 1 de Junho nos cinemas.

Curiosidades:


- Na história real realmente Percy Fawcett nunca foi encontrado, nem mesmo seus restos mortais, na missão original ele foi acompanhado com seu sobrinho e filho, todos desapareceram. 

- James Gray pediu conselho para Francis Ford Coppola - de Apocalypse Now (1979) - sobre filmar na selva. A resposta do colega de trabalho foi simples: "Não vá".

- Tom Holland utilizou um bigode falso durante o filme.

- Os tiros e as explosões durante as filmagens do filme causaram incômodo aos fazendeiros locais, que chegaram a se queixar do barulho na imprensa.

- Brad Pitt foi considerado para interpretar Percy Fawcett. Benedict Cumberbatch também iria interpretar Percy Fawcett, mas teve que abandonar o projeto devido às gravações de Doutor Estranho (2016).

- Tom Holland quebrou seu nariz no último dia de gravação.

- Charlie Humman queria comer e dormir nas trincheiras do campo de batalha, mas não permitiram que ele seguisse adiante com esta ideia.


Nota:

Compartilhe:

charliehunnam

cinema

critica

filme

imagemfilmes

jamesgray

karina

movie

robertpattinson

semspoilers

tomholland

zcidadeperdida

zthelostcity

Comente!

1 Comentários:

  1. O filme é bom com o trabalho de Tom Holland. É de admirar o profissionalismo deste ator, trabalha muito para se entregar em cada atuação o melhor, sempre supera seus papeis anteriores, o demonstrou em Homem Aranha de Volta ao lar, este Novo filme do Homem Aranha já se converteu em um dos meus preferidos. Espero poder seguir de pertos seus próximos projetos para a evolução do seu trabalho.

    ResponderExcluir