News!

Crítica | Guardiões da Galáxia Vol.2 SEM SPOILERS



Colorido, engraçado e ridiculamente tosco, Guardiões da Galáxia Vol. 2 eleva ao cubo a fórmula do primeiro filme, e o resultado é um dos filmes mais divertidos que já assisti e um dos melhores filmes do Marvel Studios. 

Talvez o grande inimigo para um grande blockbuster na atualidade sejam os trailers. Digo isso porque eles são o convite para o telespectador, é o que vai definir de uma vez por todas se você vai pagar para ver aquele filme. Mas ultimamente o cinema tem vivido um grande problema com eles, a divulgação exagerada das cenas acabam com o elemento surpresa. Eles tentam impressionar tanto o público, que acabam entregando demais, quando você chega ao cinema já tem a certeza de que assistiu 90% do filme. Por isso, a estratégia usada pelo diretor James Gunn e a equipe de marketing da Marvel foi o primeiro passo para o sucesso de Guardiões da Galáxia 2, além de mostrar que, é sim possível lançar trailers que elevam seu hype sem entregar nada.


Os heróis mais desleixados e hilários da galáxia

Dirigido pelo diretor James Gunn, Guardiões da Galáxia Vol. 2 marca o retorno dos heróis mais desleixados da galáxia. A equipe está mais unida e me arrisco em dizer mais "madura". São reconhecidos por toda a galáxia pelo seus incríveis atos heroicos no primeiro filme, mas agora também fazem trabalhos para várias raças alienígenas, passando por infinitos planetas no comando de Peter Quill (Chris Pratt) e sua nave Milano.

O filme começa mostrando um pouco mais sobre os pais de Peter Quill na terra, logo em seguida vem a cena de abertura, que, com certeza é uma das mais memoráveis do filme. Ao som de uma das músicas clássicas do Awesome Mix Vol. 2, a cena é extremamente hilária e fantástica em seus aspectos coreográficos e visuais. Os Efeitos Especiais de encher os olhos, cores fortes e vibrantes em uma sequência de ação belíssima. Se você achou a cena de introdução do primeiro filme genial, você com certeza vai entrar em transe com essa. 

As piadas funcionam mais do que nunca, guardiões da galáxia com certeza é a franquia da Marvel onde tudo funciona, no quesito comédia, o roteiro é extremamente tosco sem se preocupar com nenhum "padrão" hollywoodiano de comédia. James Gunn com certeza sabe usar o timing perfeito das piadas e onde elas vão se encaixar perfeitamente na cena. Mas, o crédito não é apenas dele, pois não basta apenas ter um roteiro excelente sem atores excelentes, e aqui, os atores entregam com maestria a tão hilária fórmula Marvel.


É difícil dizer qual dos heróis é o mais engraçado, mas com certeza o que mais se destaca no filme é o Drax (Dave Batista), seu instinto heroico desleixado, sua sinceridade e a falta de entendimento do uso do sarcasmo te faz gargalhar em todas as cenas em que ele abre a boca, mas acho que o destaque do personagem é sem dúvidas sua risada extremamente exagerada e nonsense. O personagem ganha uma força ainda maior nesta continuação com a entrada de Mantis (Pom Klementieff), os dois tem uma química incrível e funcionam perfeitamente juntos, te dando as partes mais engraçadas do filme.


Já posso dizer que Baby Groot (Vin Diesel) é o personagem mais fofo dos filmes. Quando Drax não rouba a cena, quem rouba é ele, o espírito de criança do personagem dá uma nova cara para o grupo, suas brincadeiras, trapalhadas, principalmente em seus momentos de raiva que aquece nossos corações de tanta fofura. Seu visual realmente nos passa a sensação de ser uma criança inocente, apesar de ser uma árvore que anda e fala. O Groot do primeiro filme é adorável, mas com certeza esse é mais fofo e engraçado, não quero que ele cresça nunca.


Rocket (Bradley Cooper) continua sendo o "guaxinim" mais hilário e mais sarcástico da galáxia, duvido você não se divertir com suas brincadeiras ou seus momentos de fúria. Seu sarcasmo continua mais vivo do que nunca no novo filme, tirando até o Star Lord do sério. Rocket também desenvolve uma parceria inesperada com Yondu (Michael Rocker), que dá um pouco mais de graça a suas cenas e um novo peso dramático. Quando não está fazendo piadas ou tirando alguém do sério, ele está consertando coisas, sendo o mais inteligente da equipe, que estaria perdida sem ele.

Peter Quill/Star Lord ainda sendo aquele bonitão brega das galáxia, mas que com certeza é digno da liderança. O personagem funciona muito bem como um líder, a química que ele tem com cada membro da equipe não é a mesma, mas que funciona com todos. Com Baby Groot você sente uma relação entre pai e filho, que foi uma surpresa, esperava que esse sentimento seria desenvolvido apenas entre Groot e Rocket. Com o Rocket o sentimento é de um irmão, os dois disputam a toda hora para ver quem é o melhor, sempre em brigas ou momentos de amizade. Entre Drax, a relação é de melhores amigos, aquele amigo zoeiro que só te faz passar vergonha.


Já com Gamora (Zoe Saldana), bom, acho que vocês já sabem. A química entre eles é muito forte, você sente o desejo de um pelo outro e torce para que eles fiquem juntos, desde o primeiro filme. Apesar do forte sentimento entre eles, essa relação não foi tão explorada aqui, talvez pelo fato do filme ter se concentrado mais nas relações entre Gamora e sua irmã Nebula (Karen Gillan) e entre Peter e seu pai biológico, o planeta Ego, vivido por Kurt Russell.


Cenas de ação e um mundo extraordinário

Guardiões da Galáxia vol. 2 é um filme que não tem medo de ser exagerado, principalmente em seus quesitos visuais, tudo no filme é exagerado elevado ao cubo, as cenas de batalhas com naves fazem sentir como se estivéssemos em um vídeo game, explosões de cores nos fazem encher os olhos, tudo é muito colorido e extravagante. As batalhas no solo são quase uma coreografia de dança te envolvendo a cada cena, principalmente em uma cena específica envolvendo o Yondu. A criação de mundos é sensacionalmente detalhada e inventiva, excelentes contrastes com a simetria retro de ambientações internas. A maquiagem impecável, nada mal feito ou preguiçoso, te fazendo acreditar que são realmente raças alienígenas. 




Trilha-Sonora

Às vezes os filmes não são nada sem sua trilha sonora, e sem dúvida alguma, Guardiões da Galáxia perderia muito sem as suas, afinal, elas são mais do que "meras" músicas, elas são praticamente um personagem dentro do filme, pois imagine como seria o primeiro filme sem Hooked On A Feeling do Blue Swede, não iria ser a mesma coisa, não é? As músicas em guardiões da galáxia tem uma função diferente das músicas de outros filmes, elas não estão ali por estar ali, não é algo genérico e escolhida aleatoriamente, elas foram escolhidas a dedo, e colocadas em momentos únicos para serem memoráveis, te puxando para dentro de cada cena, te envolvendo para nunca deixar o filme maçante e chato, por isso, elas são mais do que "meras" músicas. Abaixo vou colocar duas playlist do Spotify com todas as músicas que fizeram parte do segundo e também do primeiro filme.



Guardiões da Galáxia Vol.2 nos traz um filme tão excelente quanto o primeiro, concentrando-se no que deu certo e elevando para um nível mais ambicioso, sem medo de ser extravagante ou brega. Apostando em um peso dramático que funciona sem perder a graça, fazendo-nos apegar ainda mais aos personagens. Efeitos visuais magníficos e um mundo rico e colorido, combinando com uma trilha sonora impecável e cenas de ação de tirar o fôlego. Um filme que vai agradar tanto aos fãs da Marvel, quanto aos telespectadores casuais. Com certeza Guardiões da Galáxia Vol. 2 vale seu ingresso.
AVISO IMPORTANTE: O filme contém 4 cenas pós-créditos, não perca!

Nota:


0 comentários:

Postar um comentário